Gilson Volpato

Ciência & Comunicação

Construindo uma sociedade melhor

Assuma a educação e a ciência como base para nossa sociedade

Ciência Aplicada: pode ser critério para qualidade científica?

Categoria(s): Publicação Científica

Link da Notícia

Fonte: http://agencia.fapesp.br/um_futuro_brilhante/21987

Comentário do Prof. Gilson Volpato 04/10/2015:

Vejam esta interessante matéria (Um futuro brilhante) publicada pela FAPESP (02/10/2015). Ela fala do que muitos esperam: melhor eficiência em velocidade e energia para os tablets e outros equipamentos que nos permitem usar a internet. Mas as pesquisas relatadas mostram algo mais maravilhoso ainda. Mostram a beleza e a verdadeira razão da ciência. Mas essa beleza não é a sua aplicação.

A beleza que falo é o poder da ciência como construtora de conhecimento e o poder desse conhecimento para melhor ajustar o ser humano ao mundo. Notem que o raio laser é a base para essa notícia agora relatada pela FAPESP. Mas o raio laser foi descrito em 1960 e, nessa época, um membro da equipe relatou que haviam descoberto uma solução, mas não sabiam para qual problema. Ou seja, nessa época, a descoberta do raio laser era algo para o qual não se presumia aplicação prática (social). Então, segundo o que defendem alguns, seria uma pesquisa com pouco mérito. Por isso é que a avaliação científica não pode se basear na aplicação imediata (mesmo que leve 10 anos para colhermos os frutos da pesquisa relatada na reportagem da FAPESP, já sabemos qual é sua aplicação). Meu coautor e eu chamamos de IMEDIATISTMO CIENTÍFICO (em "Elabore Projetos Científicos Competitivos", 2014) essa postura de valorizar a ciência por meio de sua aplicação social imediata. Veja ainda que a descoberta em pauta já subscreve seus ancestrais a Einstein no início do século passado. Ou seja, esse é o verdadeiro poder da ciência. Não se trata de resolver questões imediatas, mas de fornecer conhecimento sólido, pois assim poderá ser ser usado quando a contingência permitir. A prerrogativa é que seja conhecimento válido, forte; e é apenas isso que se requer quando falamos em qualidade científica.

Veja também: Avaliação Científica: das citações à aplicabilidade [acesso pelo link acima]